1º Congresso Lusófono sobre Esoterismo Ocidental
LISBOA | 7 a 10 de Maio de 2016

Simpósio Temático: Rosacruz, Teosofia Cristã e Ciências Arcanas

Coordenação: Gabriel Mateus (ULHT), Rui Lomelino de Freitas (ULHT), Francisco de Mendonça Jr. (UNASUR) e Juan Pablo Bubello (UBA / UNASUR)

A Theosophia cristã, que emerge no Renascimento, em contraposição ao dogmatismo teológico, procurou unir a via religiosa com a via científica, assumindo-se como Religião do Pensamento, da que falaria Giordano Bruno ao descrever o hermetismo. Foi neste contexto que se desenvolveu a astrologia, a alquimia, as ciências médicas, a magia e o estudo da natureza, profundamente influenciados pelo trabalho de Paracelso. Neste movimento a arte encontrou novos cânones de beleza, adquirindo uma dimensão simbólica, menos formal e utilitária, mas muito mais profunda. A religião tornava-se mística, individual, buscando o contacto directo e sem intermediários com o divino arquitecto. O pensamento filosófico era incitado ao questionamento e o método experimental era aplicado de forma racional. Desta miscelânea nasceram impulsos e movimentos que determinariam profundamente a História moderna e contemporânea. São conhecidos autores deste movimento, entre muitos outros, nomes como: Valentin Weigel, Heinrich Khunrath, Johann Arndt e Jacob Bohme.

Segundo Antoine Faivre, a Teosofia Cristã caracteriza-se por três aspectos fundamentais: O Triângulo Divino/Humano/Natureza; a Primazia do mítico; o acesso aos mundos superiores.

A Rosacruz “clássica” do século XVII é um marco ineludível no Esoterismo Ocidental. Os “Manifestos” que surgiram nesse tempo, expressavam a vontade de muitos teósofos, místicos e eruditos de diversas latitudes geográficas de realizar uma “reforma” não somente religiosa, mas espiritual, política e social. Na realidade uma reforma do ser humano. O impacto da sua publicação na sociedade da época e o efeito deste movimento de ideias nos 400 anos seguintes ainda está por avaliar correctamente. A proposta deste painel é a de realizar uma aproximação às fontes espirituais deste movimento e a sua relação com o pensamento científico e social e o modo como potenciaram desenvolvimentos históricos e a criatividade individual. O eixo temático deste simpósio pretende incluir comunicações que abordem algumas das as fontes compulsadas dos séculos XVII ao XXI, assim como sobre as concretizações os movimentos e os pensadores que nos diversos domínios deram corpo ao ideal de humanismo Rosacruz.

O eixo temático deste simpósio permitirá certamente actualizar para a comunidade científica uma avaliação da importância destes movimentos na História.


Comunicações:

Fernando Carreira
Martinismo, Louis Claude de Saint-Martin e a Via interior
Otávio Santana Vieira
Prisca Theologia: Entre Tempo Histórico e Tempo Mítico
Ricardo Lindemann
A Astrologia em A Última Ceia de Leonardo da Vinci
Enrique Santos
La influencia rosacruz en el pensamiento de Comenius
Francisco de Paula Souza de Mendonça Júnior
Sobre espíritos aéreos e escritas indecifráveis: o Segredo como espaço de ação política